Depois dos 30

by
Mulheres correndo na praia, de Picasso

Mulheres correndo na praia, de Picasso

Como é bom ter mais de 30! As de 20 nem imaginam!

Depois dos 30, somos bem mais livres, menos manipuláveis, menos confusas, mais tranquilas. Depois dos 30, assumimos nossos estilos de roupa, cabelo, tipo físico. Damos adeus aos modismos e assumimos nossa própria identidade. Claro!, não podemos generalizar, pois existem mulheres e mulheres de mais de 30. Mas conheço várias assim, com esse perfil.

Depois dos 30, comemos pizza, sorvete, chocolates sem culpa alguma. Nos cuidamos, sim: academia, dermatologista, massagens, salão de beleza. Mas tudo sem excessos, com uma boa dose de equilíbrio. Somos vaidosas na medida certa, sem querer ser uma tábua, ou melão, melancia e essas frutas todas aí.

Passeio, de Chagal

Passeio, de Chagal

Usamos esmalte vermelho e damos o foda-se! ao fato de os homens odiarem esmalte vermelho. Podemos ter cabelo curto, comprido, vermelho, roxo, usar salto alto, odiar salto alto e não ter problemas com isso, viver de all star. Depois dos 30, já viajamos, já conhecemos um pedaço do mundo, falamos idiomas, temos cultura, sabemos discutir os mais variados assuntos.

Nos masturbamos sem culpa alguma, compramos lingeries, vamos aos sex shops, nos entregamos de verdade quando encontramos o parceiro certo, podemos fazer sexo por sexo ou ser românticas incorrigíveis, esperando o amor certo para a noite certa de sexo fenomenal. Conhecemos nossos corpos, gostamos de vê-los, de tocá-los. Os respeitamos. E sabemos: antes sozinha do que mal acompanhada.

Assistimos a filmes água com açúcar, daqueles bem bonitinhos, sem o menor medo de sermos criticadas, pois já vimos a maior parte dos intelectuais, que também amamos. Tomamos cerveja, vinho, pinga, ou nada, e danem-se os preconceitos. Somos vegetarianas, carnívoras, os dois ao mesmo tempo. Se não somos casadas, temos nosso canto, nossa vida. Dizemos, em alto e bom som: Não!, eu não quero ter filhos ou Sim!, ainda quero ter uns cinco ou Sim, ainda quero me casar ou Não, escolhi estar só.

Abrazo amoroso, Frida Kahlo

Abrazo amoroso, Frida Kahlo

Para mim, estar na casa dos 30 é ser livre. Livre de nós mesmas, de nossos traumas e neuras, ou, pelo menos, de alguns deles. O tempo nos ensina, e muito, é um perfeito professor, o melhor de todos. Uma amiga, na casa dos 50, diz que tudo fica ainda melhor aos 40, depois aos 50.

Deve ser a sensação de ter vivido, a certeza de que passamos boa parte do tempo correndo atrás de ilusões e de futilidades, tratando e atendendo nosso ego, nos enganando, não sendo nós mesmas e que, enfim, encontramos o verdadeiro sentido da vida: paz, estar perto dos que amamos e nos amam, estar bem consigo mesmo, entender que o melhor da vida é ser simples, é viver livremente. As opiniões? Ao menos a mim elas não importam nenhum pouco. Opiniões e preconceitos são diferentes de críticas construtivas. Essas, sim, são acatadas.

Cena de Thelma e Louise

Cena de Thelma e Louise

Nos 30, foram-se os desejos de fama, sucesso, de ser reconhecida, pois já sabemos que tudo isso é pura ilusão. Queremos somente paz, um amor gostoso para curtir, estar próximas dos que amamos, ter um bicho de estimação ou um jardim, escrever um blog, publicar um livro em uma pequena editora, sonhar, viajar, fazer algo por amor. Aos 30, começamos a trilhar o caminho do equilíbrio.

Tags: , , , , ,

13 Respostas to “Depois dos 30”

  1. calcinhaderendinha Says:

    Romântica, compartilho em gênero, número e grau dessa sensação de liberdade que você descreveu! Fodam-se as opiniões! Que se danem as dietas! Se eu quero um amor pra sempre, daqueles de almoço de domingo, vou em busca dele. E se agora quero sexo só pelo prazer? Ótimo, ninguém tem nada com isso. Sem contar que nunca me senti tão bonita, segura, inteligente e feliz. Adorei o texto e me identifiquei bastante. Beijos

  2. calcinha bélica Says:

    Também me identifiquei bastante com o texto, obrigada! Hoje, olho para esta mulher linda e única no espelho e gosto muito dela, consigo me reconhecer. Não sou nenhuma heróina ou super profissional, como aos 20 achei que seria, e penso: ainda bem! Sou feliz assim! Ilusões deram lugar à uma relidade gostosa, a um auto-conheecimento no qual passei a valorizar cada vez mais as coisas simples e importantes. O melhor de ter mais 30 é a tal da segurança , nos importamos cada vez menos com que os outros (a galera, a thurma, a sociedade em geral) pensam e colocamoss nosso foco em amar de verdade, visceralmente quem e o que vale a pena. Temos opiniões mais sólidas, enjoamos de baseado (outras pessoas não) e não nos importamos em passar uma sexta à noite só, na companhia de um bom livro.

    • calcinharomantica Says:

      Bélica, é verdade.
      Essa tranquilidade que chega com o tempo é muito gratificante. Estou muito feliz de que o tempo esteja passando.

  3. EU Says:

    Realmente de altissimo nivel o texto
    E pura expressão da verdade
    Mais uma vez
    SIGAM EM FRENTE MULHERADA!!!
    E VIVA BALZAC
    Bjks
    e otimo fds para todas e todos

  4. Tesão-Man Says:

    Mulheres… mulheres…. e mais mulheres… A maioria, lindas, cheirosas e charmosas… Sem dúvida após os 30 estão prontinhas… machista isso? Acho que não, mas elas estão no início de um grande auge. Dominadoras, impulsivas e impossíveis, pois te contam uma história e te levam pra cama. Muito observadoras, bem mais que a época em que eram ninfas e bem menos quando estiverem na idade da loba.
    Acho feio esse nome “balzaquianas”, mas nesse período, as charmosas sem beleza facial, dão show nas belas sem charme. Enfim, estão com cara de mulheres de verdade. Deixaram de ser menininhas e assumem uma nova postura.
    Muito decididas na cama, não querem nem saber se o vizinho pode escutar algum gritinho, querem mesmo é gozaaaaarrrrrr…
    Mas falando sério, pouquíssimas querem só curtir o momento. Querem alguém pra dividir o tempo e te preparam para o futuro, pois agora vocês são só delas. E quando você menos espera, está lá no altar. Deixam de querer só os bonitinhos e passam a observar também os bons de tudo, principalmente aqueles que se dedicam, que as fazem sorrir e as deixam mais jovens e belas e menos sozinhas. Alguém que as deixem falar, falar e falar muito, mas sempre prestando atenção e isso me deixa na dúvida, o que elas mais gostam, de atenção enquanto estão falando, ou de uma boa pegada? E também aquele que liga pelo menos pra dizer que não tinha nada pra falar, apenas ouvir sua voz.
    Chega de encher a bola, né? hehehe… Agora, vamos arriando as calçolinhas e botar pra quebrar… Eu com meus 40 anos amo todas vocês, principalmente as que têm uma bela bunda… e só! (tá bom… roubei isso aí do Veríssimo). Bj pra todas as calcinhas.

  5. rvlopes Says:

    Lembrou muito o que escrevi no dia dos meus 40 anos… http://rvlopes.wordpress.com/2012/02/05/duas-vezes-vinte/
    Fica cada vez melhor essa tal maturidade.

  6. Ana Says:

    È… com certeza nesta fase, cai por cena que o mais importante é ser feliz… abandonar as amarras de uma sociedade hipócrita e suja…

  7. Deia Lindolfo Says:

    Amei demais o texto, lindo, parece realmente com a deusa de 30. bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: