O caminho para fora da floresta passa por dentro

by

floresta-2

“No meio do caminho da minha vida, me vi numa floresta escura, e me perdi”.

Inferno – Dante Alighieri

(por calcinha exocet)

Alguém já ouviu algum comentário sobre um amigo bem casado, com filhos, que  se separou da mulher para viver um romance com uma bem mais jovem? Ou, que um amigo tinha tudo para ser feliz, uma linda mulher, filhos maravilhosos, uma mansão e uma carreira brilhante e se encontra deprimido? Ou, ainda, que esse amigo dilapidou todas as economias e voltou a se comportar como um adolescente?

Quando o homem chega à metade da vida sente uma angústia e se pergunta se fez tudo o que queria.  Segundo a reportagem da revista Seleções de agosto de 2009, o homem sente mais a crise da meia-idade que a mulher porque a valorização deles está mais ligada ao trabalho do que a das mulheres. Assim, se a vida profissional não faz mais sentido, isso  pode levá-lo a uma verdadeira queda livre.

Ter consciência de que se é mortal pode reforçar a crise. Essa consciência surge quando se tem contato com algum fato, como a morte de um parente, a dissolução do casamento, uma mudança no trabalho, aposentadoria, uma doença grave etc. Outro fator que influencia a  crise na meia-idade é a queda de 1% a 2% do nível de testosterona. A queda da testosterona é considerada responsável pela redução da força muscular e do impulso sexual, pelo aumento da gordura corporal, da letargia, da irritabilidade e da depressão.

Vejamos alguns sinais que precisam de atenção:

1. Mudança de emprego.

Quando ele revelar o desejo de largar seu trabalho de 30 anos para abrir um novo negócio.

2. Comportamento que põe a vida em risco.

Quando ele anuncia que vai participar de esportes radicais: bungeejump, surfe em mar revolto, mergulho em cavernas etc.

3. Cuidados com a aparência.

Quando ele resolve depilar as costas, abandonar o barbeiro e  ir ao cabelereiro para fazer reflexos, comprar roupas modernas etc.

4. Retorno ao comportamento dos 20 anos.

Quando ele decide  recuperar a juventude perdida  indo a festivais de música que duram 3 dias, beber demais, se alimentar mal, exagerar em exercícios físicos etc.

5. Paqueras.

Quando ele questiona se ainda consegue conquistar ninfetas. Esse pensamento torturante leva muitos homens de certa idade a se comportar diferente: engrossar a voz, inclinar-se sobre a mesa da recepção, jogar para trás o cabelo que acabou de receber reflexos e dizer coisas como “Que tal uma balada hoje?”

6. Busca de antigos amores.

Quando ele resolve procurar a namoradinha da escola na Internet, redescobrir a emoção de andar de skate ou desenterrar o velho baixo elétrico com amplificador e reunir os amigos da antiga banda de rock para um ensaio.

A passagem do meioAlguns desses exemplos revelam a insatisfação com a vida profissional, conjugal e consigo mesmo. De repente,  tem-se a sensação de peso e vazio.  Segundo o psicólogo James Hollis, no livro “A Passagem do Meio”, os sintomas desta crise de meia-idade começam bem antes dos quarenta ou cinquenta anos.  O autor  mostra alguns caminhos que podem ser saídas da floresta escura. Mais do que isso, mostra que existem belas paisagens para além desta. O caminho para fora da floresta passa por dentro, ou seja, o autoconhecimento. A meia-idade pode ser uma oportunidade de crescer e ser feliz.

Tags: , , , ,

4 Respostas to “O caminho para fora da floresta passa por dentro”

  1. Roberto Berlim Says:

    Ter consciência de que é mortal, né?

  2. calcinha bélica Says:

    Não acho que muitos desses sinais precisam de atenção. O importante é ser feliz, se um cara que trabalha um tempão no trabalho resolve largá-lo, muitas vezes, é sinal apenas de que quer conhecer outros caminhos, quer mudanças, quer se arriscar, conhecer o novo. E isso pode ser muito bom. Quem sabe largar anos em um emprego chato de engenheiro, por exemplo, não o leva a descoberta de que cozinhar e abrir um restaurante é um tesão. Claro que existem homens que passam por questionamentos na meia-idade, sentem-se perdidos, e achei relevante o seu ponto de vista. Mas se o marido anunciar que vai participar de esportes radicais depois de tanto tempo, acho que muitas mulheres podem se sentir mais atraídas por eles e isso pode aquecer a relação. Quanto desenterrar o baixo….torço para que os homens não o enterrem nunca. Acredito que dá para conciliar as antigas paixões com as novas como filhos e desafios no relacionamento.

    • calcinhasnarede Says:

      Bélica, estarmos atentos é importante, mesmo que os sintomas pareçam banais. Não existe verdade absoluta sobre qualquer assunto. Os sintomas descritos no texto não foram inventados por mim, são descritos por terapeutas que trabalham com a andropausa. Não podemos levar todos os sintomas ao pé da letra porque algumas atitudes podem não ser a crise da meia-idade. Temos que ter bom senso. O texto nos ajuda a refletir se certas atitudes e decisões que tomamos em relação à vida profissional, conjugal e sobre nós mesmos são sintomas da mundança hormonal masculina ou apenas mudanças saudáveis. Beijos.

  3. calcinha comestivel Says:

    Como todo sintoma, os sintomas da crise de meia-idade podem significar esta crise, ou podem significar outra coisa qualquer. Como disse a Exocet, é preciso bom senso. Mas já vi crises semelhantes e muitos dos sintomas estavam presentes. Para nós, mulheres, é útil estarmos atentas a estes sintomas, para entendermos o que pode estar acontecendo com nossos companheiros.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: