Archive for fevereiro \28\UTC 2010

Malhação vaginal: pompoarismo

fevereiro 28, 2010

(por calcinha de cristal)

Um dos posts mais acessados no Calcinhas é sobre masturbação feminina. A partir dele, vimos que existe pouca informação disponível para as mulheres, literalmente, exercitarem sua sexualidade. Prestando, portanto, um serviço de utilidade pública, pesquisamos para nossas leitoras uma técnica milenar chamada pompoarismo.

Pompoarismo é a prática do pompoar, técnica oriental que consiste em movimentar voluntariamente a musculatura vaginal, a fim de explorar com maior intensidade a própria satisfação sexual. É isso mesmo, querida leitora, a perseguida é cercada de músculos que podem ser exercitados  com exercícios específicos. Alguns exercícios para o domínio da técnica são realizados com o auxílio dos Bem-wa, que consistem em pequenas bolas ligadas através de um cordão de nylon, conhecidas também como bolinhas tailandesas.

O pompoarismo é uma prática comum na Tailândia, e vários filmes e documentários mostram pompoaristas em atividade em várias partes do mundo. No documentário chinês ‘Os últimos tabus’, uma mulher aparece fumando pela vagina (se tiver coragem e curiosidade, clique aqui, mas tire as crianças de perto); no filme japonês ‘O império dos sentidos’, uma mulher introduz um ovo cozido, que depois é expelido e comido; e no filme australiano ‘Priscilla, a rainha do deserto’, bolas de pingue-pongue são disparadas por uma vagina. Também podemos ver uma comediante americana que, supostamente, consegue tocar um instrumento de sopro com a xoxota.

A palavra pompoar é originária do tamil (ou tâmul), idioma do Sri Lanka e sul da Índia, e significa o comando mental sobre o músculo pucoccígeo, os músculos circunvaginais e os grandes lábios da vulva.

Existem várias técnicas para a malhação vaginal, uma delas é conhecida como Exercícios de Kegel, e é sugerida por muitos ginecologistas às pacientes para prevenir flacidez pós-parto e incontinência urinária.

Outra vantagem: os movimentos ajudam a mulher a perceber melhor as sensações vaginais e, com isso, descobrir mais maneiras de sentir prazer. Esses exercícios são técnicas iniciais para a prática do pompoarismo.

Veja um roteiro básico, para ser feito duas a três vezes por semana:

Contração vaginal

Sentada numa cadeira, contraia os músculos da vagina como se apertasse algo dentro dela. Conte até três e relaxe. Repita dez vezes. Depois, contraia e relaxe rapidamente, como se quisesse imitar o ritmo de uma respiração ofegante. Conte até dez novamente. Total: 20 repetições.

Contração anal

Deitada, flexione as pernas e eleve o quadril. Fique apoiada apenas sobre os ombros e os pés. Contraia o bumbum, conte até três e solte. Faça dez vezes. Deite na cama e relaxe o corpo por alguns instantes. Depois, volte à posição anterior e contraia o ânus em três tempos, sem relaxar entre um e outro: de leve, mais forte e com toda a intensidade. Faça dez vezes. Relaxe e repita o exercício, só que dessa vez você irá contrair não só o ânus, mas também a vagina como se quisesse sugar alguma coisa com ela. Mais dez vezes. Total: 30 repetições.

Sucção vaginal

Recostada na cama, separe as pernas e deixe-as semiflexionadas. Insira um dos dedos na vagina e aperte-o o máximo que puder. Caso não consiga apertar o dedo, insira dois. Faça dez vezes. Depois, tente sugar o dedo com a vagina. Ajude com a respiração: na hora do movimento de sucção do dedo, inspire e prenda o ar. Conte até três. Repita dez vezes. Total: 20 repetições.

Usando brinquedos e acessórios

Vibrador:

  • Lubrifique o vibrador. Introduza de 3 a 5 cm na vagina e aperte o vibrador. Solte. Repita dez vezes.
  • Introduza mais um pouco: de 8 a 10 cm no total. Aperte-o com uma parte mais interna da vagina. Solte. Repita dez vezes.
  • Última etapa: aperte-o com o canal todo. Faça dez vezes.
  • Outro exercício: Coloque a ponta do vibrador na entrada da vagina. Tente sugá-lo. É difícil conseguir nas primeiras vezes. Não desista. Só o movimento de sucção já faz efeito, mesmo que você não consiga sugar o vibrador. Repita 5 vezes.
  • Bolinhas Ben-Wa:

  • Lubrifique as bolinhas. Insira uma bolinha na vagina. Tente sugar a outra. Não é fácil. Mas não desista. A tentativa de sucção já é um exercício que dá resultado. Repita 5 vezes.
  • Faça o mesmo exercício de sucção: insira uma bolinha e tente sugar a outra. Porém, ajude a inserir a segunda bolinha com o dedo. A parte maior do cordão deve ficar para fora. Em seguida, tente expeli-las. Nas primeiras tentativas, ajude puxando-as pelo cordão. Faça 5 vezes.Boa ginástica! Com certeza, você vai sentir a diferença!
  • Anúncios

    Beije-me muito!

    fevereiro 17, 2010

    (por calcinha de oncinha)

    Olá, leitoras!

    Pulei carnaval em Olinda esse ano! Uau! Não sei como estou viva depois de tanta atividade.

    Nunca beijei tanto na minha vida como nesse carnaval. E por falar em beijo, hum…. que coisa mais gostosa!

    Todos os caras que beijei, adorei. Não me perguntem quantos foram! Não me lembro.

    Sei que existe beijo ruim pois já tive essa experiência no passado. E o pior é que depois desse beijo não dá mais para  ficar com o cara. A coisa desanda. Esse cara do passado, por exemplo, não abria a boca direito, sua língua parecia que fugia da minha. Era um esforço inútil de minha parte.  Por outro lado, há amigas que relatam que beijos em que a língua quase toca em nossas cordas vocais causam um anticlímax.

    Será que podemos aprender a beijar? Existe algum manual ou dica que ensina a controlar a intensidade com que se beija?

    Saibam que fui pesquisar e….

    Não é que existe! Há um livro de Pedro Paulo Carneiro, Dossiê do beijo – 484 formas de beijar! O autor afirma que sabemos beijar desde que nascemos. Vamos acompanhar seu pensamento.  Segundo Carneiro, o ato está impresso em nosso DNA. O modo que nossos antepassados nos alimentavam – mastigavam os alimentos e os depositavam na boca das crianças – deu origem ao beijo. Ele afirma que não existe quem beije bem ou mal. O que proporciona um bom beijo é a química entre as pessoas. Então, pensei: mas se é pura química por que 484 formas de beijar? Em seguida, ele diz que é possível aperfeiçoar a arte de beijar e dá dicas de cuidar da higiene bucal para torná-la mais atraente, movimentar a língua pelo palato, pelos lábios, e até pelos dentes. Percebi que o autor não fica preso às técnicas, ao contrário, ele afirma que sem o envolvimento não há como as técnicas ajudarem.

    Li também que o beijo estimula os músculos do rosto e produz a serotonina, um neurotransmissor de prazer. Há um site que tem sido o maior sucesso é www.bestkisses.com. O fato é que adoro beijar, mas não é qualquer um. Está certo que no carnaval passei da medida. Espero sinceramente que minha atitude não me traga nenhum probleminha. Muitos beijos para todas nós!

    Sagu com vinho e creme de baunilha gelado

    fevereiro 8, 2010

    (por Calcinha exocet)

    Oi, leitores e leitoras!

    Hoje resolvi compartilhar uma receita que acho uma delícia! É uma receita refrescante para esse verão e fácil de preparar.

    Costumo fazer com suco de uva natural de garrafa, que é bem concentrado.

    Ingredientes:

    Sagu:

    • 2 xícaras (chá) de vinho tinto seco ou suco de uva concentrado;
    • 4 xícaras (chá) de água;
    • 2/3 xícara (chá) de Sagu de Mandioca;
    • ¾ xícara (chá) de açúcar;
    • 1 casca de Canela da China;
    • 1 Cravo da Índia.

    Creme de Baunilha

    • 300ml de leite;
    • 1 caixa de creme de leite (200ml);
    • 6 gemas;
    • ½ xícara (chá) de açúcar;
    • 2 colheres (chá) de essência de baunilha.

    Modo de preparo:

    Numa tigela, misture o vinho e a água. Ponha o sagu, mexa e deixe de molho por uma hora. Despeje o conteúdo em uma panela, junte o açúcar, a canela, o cravo e leve ao fogo baixo, mexendo de vez em quando, por cerca de 40 minutos até o sagu ficar translúcido. Deixe amornar e distribua em taças. Quando esfriar, cubra com filme plástico e leve à geladeira. Enquanto o sagu cozinha, prepare o creme em uma panela, coloque o leite e leve ao fogo até quase ferver. Misture o creme de leite e reserve. Bata as gemas com o açúcar até obter um creme claro, misture metade do leite às gemas, batendo sempre e volte a mistura à mesma panela. Leve ao fogo baixo, mexendo até engrossar ligeiramente, sem deixar ferver. Retire do fogo, misture a baunilha, espere esfriar e guarde na geladeira. Sirva o sagu gelado com o creme por cima.

    Grávido

    fevereiro 3, 2010

    JC Online

    O segundo homem “grávido” veio à público nesta quarta-feira (27), segundo informou a versão online do Daily Mail. Scott Moore, 30 anos, dará a luz em fevereiro, ao lado do seu esposo, Thomas. Os dois nasceram mulheres, e realizaram cirurgia para mudança de sexo.

    Casados legalmente no estado da California, Scott e Thomas já têm dois filhos, Gregg, 12 anos e Logan, 10, de casamentos anteriores. O bebê que esperam é um menino e se chamará Miles. “Sei que algumas pessoas irão nos criticar, mas estamos muito felizes e não temos vergonha disso”.

    Scott planeja ter o bebê de parto natural em um hospital local. Ele engravidou através de inseminação artificial com o esperma de um amigo. Os médicos e obstretas já foram avisados e estão acompanhando a gravidez. “Nenhuma pessoa grávida pode ter cuidados médicos negados, só porque é um homem”, disse Scott.

    O caso é semelhante ao ocorrido em 2008 com Thomas Beatie, no Oregon (EUA), que causou comoção mundial ao parir uma menina após ter feito a cirurgia para se tornar um homem.

    Análise da notícia

    (por calcinha comestível)

    Quando vi a notícia sobre o segundo homem a engravidar, pensei que fosse alguém que tivesse nascido homem e tivesse engravidado artificialmente, usando algum órgão interno para alimentar o bebê, como na comédia Júnior, estrelada pelo Arnold Schwarzenegger em 1994. Mas no caso noticiado na semana passada trata-se de uma mulher que virou homem mas manteve os órgãos sexuais femininos. Ela, ou melhor, ele, apenas removeu os seios e usa hormônios masculinos que lhe trouxeram uma bela barba.

    Na minha opinião, o assunto só virou notícia pelo sensacionalismo de sempre na mídia, e pela vontade de se promover da mãe, digo, pai. Sim, porque tecnicamente trata-se de um útero no qual está sendo gestado um bebê. Qual a novidade? Por outro lado, a única confusão ou polêmica, pelo menos para mim, é tentar classificar o gênero de uma pessoa que não tem mais os seios e usa barba, mas que ainda mantém seus órgãos femininos e, assim, engravida.  Ou seja, é uma confusão de papéis e rótulos. No fundo isso só virou notícia porque somos (seres humanos em geral) muito muito bobos. Mas ao menos é uma oportunidade para pensarmos no quanto é arbitrária a definição dos nossos papéis sexuais. Embora muita gente ache que há uma ordem natural, definida pela própria natureza ou por Deus (ou ambos), na realidade o ser humano é naturalmente livre para assumir o papel sexual que quiser. Os obstáculos para o exercício desta liberdade é que não são naturais. São criados por alguns seres humanos que não querem reconhecer esta liberdade.