Archive for dezembro \26\UTC 2010

Anaïs Nin – uma noção do mundo artístico da mulher.

dezembro 26, 2010

Por calcinha exocet

Anaïs Nin foi uma figura literária única. Romancista francesa, eroticista apaixonada e contista, que ganhou fama internacional com seus Diários. Abrangendo os anos 1931-1974, eles dão um relato da viagem de uma mulher para a autodescoberta. “Tudo bem se uma mulher for, acima de tudo, humana. Eu sou uma mulher, antes de tudo.” (O Diário de Anaïs Nin, vol. I, 1966)  Anaïs Nin foi amplamente ignorada até a década de 1960. Hoje ela é considerada uma das principais escritoras do século 20 e fonte de inspiração para as mulheres que desafiam o papel convencional do gênero.

“Eu esperava um homem para a demonstração das sessenta e seis maneiras de fazer amor. Henry negocia  o preço. As mulheres sorriem. A maior tem características ousadas, cabelo preto, cacheado, que quase esconde o rosto. A menor delas tem um rosto pálido, com cabelos loiros. Elas são como mãe e filha. Usam sapatos de salto alto, meias pretas com ligas nas coxas, e quimono aberto solto. Levam-nos para cima. Andam à frente, balançando os quadris. ” (dos Diários 1931-1934)

Uma figura literária obscura  na maior parte  de sua vida. Quando seus diários – mantidos desde 1931 – começaram a ser publicados em 1966, Anais Nin chegou aos olhos do público. Desde então, os dez volumes do diário de Anaïs Nin têm permanecido populares. São mais do que simples diários, cada volume tem um tema, e provavelmente foram escritos com a intenção de que fossem publicados posteriormente. Cartas que ela trocou com amigos íntimos, incluindo Henry Miller, também foram publicadas. A popularidade dos diários despertou o interesse em seus romances publicados anteriormente. O Delta de Vênus e Little Birds, escritos originalmente em 1940, foram publicados após sua morte (1977, 1979).

Anaïs Nin é conhecida, também, por seus amantes, que incluem Henry Miller, Edmund Wilson, Gore Vidal e Otto Rank. Foi casada com Hugh Guiler, de Nova York, que tolerava suas escapadas. Também teve um segundo casamento, bígamo, com Rupert Pole, na Califórnia. O casamento foi anulado quando ficou mais famosa. Estava morando com Pole no momento da sua morte, e ele viu a publicação de uma nova edição de seus diários, com trechos antes omitidos.

As ideias de Anaïs Nin sobre as naturezas de “masculino ” e “feminino”  têm influenciado parte do movimento feminista conhecido como “feminismo da diferença”. Ela se dissociou no final de sua vida das formas mais políticas do feminismo, acreditando que o autoconhecimento através do diário era a fonte da libertação pessoal.

Com’è difficile

dezembro 11, 2010

Calcinha de Oncinha

Estive apaixonada por um homem casado! Nunca pensei que me encontraria em uma situação como esta!!

Conhecemo-nos no CCBB, na fila. Sabe aqueles dias que encontramos pessoas que estão num clima alto astral. Pois é, havia umas pessoas que, sem se conhecerem, estavam puxando uma conversa animada e acabei participando. Quando entramos no auditório, sentamos todos na mesma fileira. Parecíamos velhos amigos que não se viam há tempo. Quando a palestra acabou, o arquiteto lindo e eu trocamos o número do celular. Começamos a nos encontrar, ele era alegre e gentil, até ficarmos mais íntimos.

As calcinhas amigas sabem que meu relacionamento com E. terminou e estou sozinha. Passei alguns meses curtindo uma tristeza danada, ouvindo músicas, as mais românticas possíveis. Gastando várias caixinhas de lenços de papel. Ah, com’è difficile.

E, de repente, aparece-me um homem lindo, dando a maior bola, imagina que sorte! A tristeza foi embora num piscar de olhos!!

Durante duas semanas ficamos juntos e então ele me revelou ser casado. Credo!! Que coisa ruim de se ouvir, ainda mais quando achamos que finalmente encontramos alguém especial. Daí me senti estranha e quis saber se havia possibilidade de ele se separar.

Ele disse-me que o casamento ia mal, muita briga, ciúmes, ofensas. Transformou-me em uma confidente do seu casamento. Senti-me realmente deslocada em meio a tudo isso, não sabia o que dizer, então ouvia. Finalmente, veio a luz e questionei se aquela situação me fazia bem e a resposta veio rápida e muito segura: NÃO! Decidi não vê-lo mais. Outra vez me senti sozinha, mas não chorei, porque não me permiti viver intensamente essa paixão. Achei melhor me preservar, estou muito dolorida.

Mulheres, uni-vos contra o neo-sexismo.

dezembro 9, 2010

talk show italiano

O sujeito tinha 45% do controle da mídia televisiva. Os outros 50% estavam nas mãos do Estado. Aí ele vira Primeiro Ministro. Passa a controlar 95%. E qual é a principal marca desta nova televisão italiana? Mulheres de biquini ou super decotes, em programas de auditório ou lendo notícias. Berlusconi capricha nas declarações machistas. Ao ser perguntado sobre o aumento de estupros, respondeu que não tem policiais suficientes para evitá-los e também porque as mulheres italianas são bonitas demais. Afirmou que o melhor jeito da mulher ter uma vida segura é conseguir um marido rico.

A situação da mulher não anda mesmo fácil por lá. O desemprego é muito maior entre as mulheres, elas ganham muito menos e trabalham muito mais, graças à dupla jornada. Os homens não querem passar nem perto das tarefas domésticas. Embora elas tenham direito a seis meses de licença maternidade, os empregadores não tem nenhum receio de discriminá-las.

Leia o restante da matéria na revista Newsweek.