As mães deles

by

(por Calcinha fio dental)

Eu pensava que achava lindas aquelas fotos de jazz em preto e branco só pela estética da luz e sombra, daqueles negões tocando sax… mas não era só isso.

Eu queria ser comida como o Miles Davis toca o sax, se isso é possível (fico imaginando que sim, que ele comia desse jeito as mulheres, redondas, volumosas e ele soprando-as como faz na música), queria também ser comida como num clipe do Black Eyed Peas, se bem que nesses clipes só a Fergie parece pegar alguém, eu pegava ela…

A questão é que sempre pensamos que poderíamos estar sendo melhor comidas em outro lugar, diferente daquele em que estamos, e isso é uma e questão constante na minha alma (Baudelaire- não é bem assim, mas a idéia é mais ou menos essa).

Eu estava, no momento, fazendo aquela coisa que as mulheres chamam de: uma- experiência-para-se-conhecer-melhor, para realmente poder dar tudo de si (em todos os sentidos) para aquele Cara Certo (in english, O Mr Right).

Eu estava na dúvida entre dois. Bom, na dúvida de verdade não, era fácil escolher, mas… (sorry meninos, a mulheres fazem isso, dão pra dois ao mesmo tempo com o discurso sublime- e verdadeiro- de que estão se dando a chance de experimentar e escolher melhor- e o pior: isso é verdade! Super funciona.)

Um dos 2 tinha a Nossa Senhora Aparecida ali no criado-mudo, eu costumeiramente não ligava, gritava, virava do avesso e ela lá, com aquela cara preta (sem ofensas) debaixo daquele manto. O outro tinha a foto da mãe (não a de Jesus, a própria) num porta-retrato ao lado da cama.

A disputa era acirrada, Nossa Senhora e a Senhora Vera Lúcia. Sempre estranhei essa história de Nossa Senhora, aparece cada hora em um lugar e era a mesma, mas aparecia de uma cor, depois em outra… nunca entendi e eu e ela costumávamos nos ignorar como cavalheiras ali na beirada da cama, mas a senhora sua mãe, ali no criado-mudo me fez dizer: “Você tem que se mudar daqui!”

E essa comparação de mães me fez pensar que se o cara pega leve, a gente queria um que puxasse o cabelo. Se o cara dá tapa na bunda, chama de p… a gente fica com saudades daquele que fazia carinho quase que nem cosquinha (que nem menina).

Mas a verdade é que ficar insatisfeita é condição de ficar desejante e saber que melhor é escolher entre a mãe Maria e a Vera Lúcia. Fico eu com a de Jesus que não faz churrasco de domingo e pode ficar no quarto com a gente. (com todo o respeito pela mãe Divina)

Tags: ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: